QueerLisboa.orgby PortugalGay.PT

7º Festival de Cinema Gay e Lésbico de Lisboa

12 a 27 de Setembro de 2003
Índice Português | English

Ciclos/Noites Temáticas:
Noites Gays | Noites Lésbicas | Noite Hetero | Noite Positiva | Noite Portuguesa / Fetiche | Programa Vídeos Submetidos 1 | Programa Vídeos Submetidos 2 | Reprises (18:00) | Debates | Ciclo Fnac: Lésbicas | Ciclo Fnac: Outra Vez Educação e Cidadania

Filmes por ano:
2003 | 2002 | 2001 | 2000 | <2000

Salas:
FNAC Chiado | Cinemateca Portuguesa | Fórum Lisboa | Pequeno Auditório Forum Lisboa

Sobre o Festival:
Introdução | Mensagem do Director | Back to the Closet | Resumo Programação Completa | Programação Completa (>100KB)
Filme Amor aos Pedaços - Presença dos Realizadores




Filme Amor aos Pedaços - Presença dos Realizadores


Amor aos Pedaços - Presença dos Realizadores
(Noite Portuguesa - Noite Fetiche)
Realizador: Antero Nunes
País: Portugal, 2002
Versão: v.o. portuguesa
Duração: 2 min
    Não é verdade que tenhamos herdado da pré-história, o feio hábito de escrever nas paredes. Se assim fosse, com a evolução, ter-se-ia visto algures, nas paredes de Roma "CÉSAR AMA CLEÓPATRA" e mais tarde, no Egipto, em hieróglifos, Marco António teria escrito "EU TAMBÉM..." Haveria, decerto, lembrança de uma varanda na cidade de Verona, pertença da família Capuletto, onde estaria escrito "ROMEU AMA JULIETA". Ou mais contemporaneamente, num muro da Alexanderplatz em Berlim, um sinistro apaixonado teria feito escrever "HITLER AMA EVA". Diógenes, certamente, seria o autor da frase escrita sobre as aduelas do lendário tonel "POR FAVOR NÃO ME TIREM O SOL". E junto a uma ponte do Sena o tempo ainda não teria apagado a confissão "NAPOLEÃO AMA JOSEFINA".

    Não nada disso aconteceu. Nem mesmo o aproveitamento político da escrita das paredes, teria dado frases como estas "YANKS GO HOME", algures em muros da América Latina e , mais tarde em tantos outros pontos do globo, ou "ISRAEL AMA PALESTINA" num muro discreto de Tel-Aviv.

    Em Portugal, mais à nossa maneira um qualquer muro de urbanização teria sido, conspurcado com frases deste género: "A ESQUERDA AMA A DIREITA" "O GOVERNO AMA O POVO", ou ainda "GOVERNO LOVES RTP". São infelizmente utopias!

    Mas AMOR AOS PEDAÇOS, não. É real. Para gáudio de empreiteiros e mestres de obras, e para o desespero dos senhorios, tomou conta das paredes e veio para ficar. São desabafos de alma. Uns assumidos na primeira e na terceira pessoa do verbo AMAR. Outros, anónimos, como se o amor continuasse a ser pecado. São histórias de amor, apenas afloradas mas que podem seguir-se e completar-se, de rua em rua, de parede em parede. Algumas mesmo, com pleno direito à (in)diferença.



Sessões em que este filme é apresentado:


Sábado, 20 de Setembro

22:00 (1º Filme) Fórum Lisboa


Página Inicial



© 2003-2020 PortugalGay.PT - Todos os direitos reservados
Visite o site oficial do festival em: www.lisbonfilmfest.com